Você está acessando nosso website pela primeira vez. Nosso site, objetivando permitir, particularmente, uma melhor interação com você, bem como para permitir funcionalidades para melhorar o funcionamento técnico das páginas, mensurar a audiência do website e oferecer produtos e serviços relevantes por meio de anúncios personalizados, coleta informações do seu dispositivo e da sua navegação por meio de cookies. Para saber mais sobre a coleta de dados/informações e cookies que coletamos, acesse a nossa Política de Privacidade.

Aceitar Não aceitar

Para ver o formulário de contatos você aceita nossa Política de Privacidade.

Aceitar Não aceitar

TV tradicional passa por revolução tecnológica

Especialista do Inatel mostrou revolução do conceito OTT durante o Futurecom

inatel-palestra-ott-futurecom-out-2013-2Ednardo Segura, especialista do Inatel Competence Center (ICC) destacou como as novas tecnologias de vídeo estão mudando a maneira de ver TV"Estamos vivendo a era da conectividade", disse o pesquisador e especialista em sistemas, Ednardo Segura, do Inatel Competence Center (ICC), durante palestra nesta quinta-feira (24/10), no Futurecom. De acordo com a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad), 83 milhões de pessoas, com dez anos ou mais, declararam ter acessado a rede mundial de computadores, o que corresponde a 49,2% da população na faixa idade. No ano anterior, foram 77,7 milhões. Por outro lado, a coluna especializada do portal UOL, a revista eletrônica Adnews, registrou a queda na audiência da TV aberta, que em um ano perdeu 7% de seu público. Outro elemento foi o crescimento de 29% nos acessos a sites de notícias entre janeiro e dezembro de 2011.

Este cenário aponta novos horizontes no mercado de telecomunicações. Isso porque a TV tradicional, com a qual estamos acostumados, vem convergindo com outras mídias, principalmente com o uso ampliado de tablets, smartphones e demais mídias digitais. "As pessoas não estão mais assistindo televisão como antes. Hoje, há um novo perfil de pessoas conectadas às novas tecnologias, o que obriga a adaptação do conteúdo sob demanda, e não do usuário", disse Ednardo. E este novo perfil de serviços é chamado Over The Top, ou seja, serviços que entregam conteúdo multimídia sem operadora, como NetFlix e YouTube.

inatel-palestra-ott-futurecom-out-2013-1Em agosto deste ano, o ministro das telecomunicações, Paulo Bernardo, anunciou a possível taxação dos serviços OTT, no Brasil, como resposta às críticas dos players tradicionais que há tempos cobram uma medida. Ednardo Segura acredita que as mudanças no mercado tendem a ser mais rápidas do que imaginamos. "Provavelmente, o que restará da TV tradicional serão o noticiário ao vivo e a transmissão de esportes, uma vez que os serviços OTT permitem a personalização da programação e do horário. Inclusive, o próprio termo Over The Top está sendo substituído por InternetTV", concluiu o especialista.

Inatel

Instituto Nacional de Telecomunicações – Inatel

Campus em Santa Rita do Sapucaí - MG - Brasil

Av. João de Camargo, 510 - Centro - 37540-000

+55 (35) 3471 9200