Você está acessando nosso website pela primeira vez. Nosso site, objetivando permitir, particularmente, uma melhor interação com você, bem como para permitir funcionalidades para melhorar o funcionamento técnico das páginas, mensurar a audiência do website e oferecer produtos e serviços relevantes por meio de anúncios personalizados, coleta informações do seu dispositivo e da sua navegação por meio de cookies. Para saber mais sobre a coleta de dados/informações e cookies que coletamos, acesse a nossa Política de Privacidade.

Aceitar Não aceitar

Para ver o formulário de contatos você aceita nossa Política de Privacidade.

Aceitar Não aceitar

Uma solução para conectar todas as coisas

inatel das coisas webAo perceber que existe uma grande demanda do mercado por produtos com conectividade e sentir na pele a necessidade de ter um módulo de experimentação para utilizar em suas pesquisas de mestrado, o aluno Marco Casaroli resolveu criar um hardware genérico para aplicações em IoT (Internet of Things). Assim nasceu o Momote, um módulo open source, de baixo custo, capaz de permitir conectividade a qualquer equipamento e ser utilizado para as mais diversas aplicações. “Comecei a procurar hardwares para fazer os testes da minha pesquisa que é sobre conectividade e descobri que só existem opções para serem importadas e com um alto custo. Fiz as contas e percebi que era possível fazer um equipamento semelhante aqui no Brasil, com custo em torno de 100 e 200 reais”, explica Marco, que de pesquisador se transformou em empreendedor ao resolver investir na ideia.

Para viabilizar a industrialização do Momote, o estudante chamou os amigos Victor Fernandes e Thiago Melo para, juntos, fundarem a Das Coisas, startup instalada na Incubadora do Inatel. A ideia da empresa é produzir os módulos em larga escala e disponibilizar para empresas e instituições de ensino, com a intenção de viabilizar a criação de provas de conceito e, com isso, diminuir o time to market dos produtos, além de incentivar o desenvolvimento de novas tecnologias.

Dentre as inovações apresentadas pelo módulo destacam-se a fabricação nacional, o baixo custo, o tamanho reduzido perante os concorrentes, o alcance de 40 metros e o baixo consumo de energia (pode funcionar por vários anos com uma bateria de pequeno porte). Além disso, é o único mote do mundo que é multiprotocolo, ou seja, é capaz para funcionar em qualquer padrão de comunicação.

inatel das coisas momote webA Das Coisas já possui vários projetos em andamento para a implantação do Momote nas áreas de Automação Residencial, Agricultura, Segurança, Cidades Inteligentes e já conversa com instituições de ensino para disponibilizar os módulos para estudantes. A empresa está participando, inclusive, do projeto de transformação do Inatel em um Smart Campus e de outros projetos junto à instituição. Segundo Marco, a área educacional é o grande foco da empresa, e para onde pretendem voltar seus esforços no programa Crowdworking Vale da Eletrônica - iniciativa de apoio ao empreendedorismo e à inovação desenvolvido por meio de uma parceria entre Inatel, Telefônica e Ericsson - do qual também participam. “É uma oportunidade enorme. Pretendemos desenvolver as metodologias de ensino, materiais de estudo e kits de desenvolvimento para serem utilizados nas escolas. Todo mundo está precisando aprender sobre IoT e nós temos um módulo muito flexível que permite fazer diversos experimentos”.

Ainda de acordo com o empreendedor, o próximo passo é estudar formas de reduzir ainda mais o custo do módulo para torná-lo acessível a todos os públicos. Como ele mesmo diz, o grande propósito da empresa é ajudar a difundir a tecnologia de IoT e, para isso, os empresários pretendem engajar mais pessoas para trabalhar na criação hardwares open source que viabilizem a adoção da tecnologia nas mais diversas áreas.

Inatel

Instituto Nacional de Telecomunicações – Inatel

Campus em Santa Rita do Sapucaí - MG - Brasil

Av. João de Camargo, 510 - Centro - 37540-000

+55 (35) 3471 9200