Você está acessando nosso website pela primeira vez. Nosso site, objetivando permitir, particularmente, uma melhor interação com você, bem como para permitir funcionalidades para melhorar o funcionamento técnico das páginas, mensurar a audiência do website e oferecer produtos e serviços relevantes por meio de anúncios personalizados, coleta informações do seu dispositivo e da sua navegação por meio de cookies. Para saber mais sobre a coleta de dados/informações e cookies que coletamos, acesse a nossa Política de Privacidade.

Aceitar Não aceitar

Para ver o formulário de contatos você aceita nossa Política de Privacidade.

Aceitar Não aceitar

Crowdworking vai aproximar startups de grandes empresas para alavancar negócios

Confira exemplos baseados nas áreas de interesse do programa e acerte em sua proposta

inatel-crowdworking-openfuture

Você que é aluno, ex-aluno, professor ou funcionário do Inatel, ou uma pessoa que tem interesse em empreender e conhece alguém ligado à instituição, pode ter a chance de participar ativamente de um novo modelo de negócio que está ganhando força atualmente: a parceria entre grandes empresas e startups.

Essa colaboração tem se tornado bastante estratégica, pois os dois lados saem ganhando. As corporações conseguem a agilidade de que tanto necessitam para inovar e as startups, por sua vez, tem a oportunidade de acessar o mercado em grande escala e obter financiamento para desenvolver seus projetos.

Esse modelo já é bem comum nos Estados Unidos e Europa e tem chegado recentemente ao Brasil. O Grupo Telefónica é uma das corporações que investem muito nesse tipo de parceria. Por meio do programa Telefónica Open Future, o grupo realiza uma série de iniciativas de apoio ao empreendedorismo e à inovação pelo mundo todo.

O responsável pelo programa no Brasil, Renato Valente - que também está a frente da aceleradora do Grupo, a Wayra - explica que o Open Future está presente em mais de 17 países e já apoiou cerca de 600 startups. Ele mesmo já passou por essa experiência. Teve uma startup, que foi acelerada pela Wayra e vendida para o Grupo no início deste ano.

A Ericsson é outro exemplo de corporação que tem voltado seus olhos para esse tipo de parceria. Por meio do Laboratório da Sociedade Conectada, a multinacional sueca está em busca de soluções para a era da conectividade e aposta na criatividade das startups para alcançar esse objetivo.

A esta altura você deve estar se perguntando, mas como ter acesso às grandes empresas? A resposta é: participando da seleção de projetos do Crowdworking Vale da Eletrônica, programa que integra as iniciativas do Telefónica Open Future no país e vai contar também com o acompanhamento da Ericsson. As atividades serão todas desenvolvidas dentro do Inatel.

Não tem ideia do que inscrever?

Confira alguns exemplos baseados nas áreas de interesse do programa:

inatel-connected-busTransporte público – Alternativas para conectar usuários, agilizar o pagamento, proporcionar mais segurança, seja por meio de rastreamento ou monitoramento da frota, informar horários e trajetos por meio de aplicativos, etc.

Mobilidade urbana – Soluções voltadas para iluminação, sinalização e estacionamento que sejam inteligentes, projetos destinados à segurança tanto pública quanto no trânsito, ou até mesmo sistemas e plataformas capazes de integrar todas essas soluções.

Expansão da conectividade – Maneiras de levar a banda larga às áreas rurais e remotas, para facilitar ao acesso a serviços básicos por meio da telemedicina, gerenciamento remoto de fazendas, controle remato de irrigação, entre outros recursos.

inatel-mobile-payTransações móveis – Sistemas que integrem instituições financeiras e permitam a interoperabilidade de operações, formas seguras de pagamento via smartphones, etc.

Saúde móvel – Tecnologias que permitam aos médicos realizarem o diagnóstico a distância e o monitoramento remoto por meio de dispositivos móveis, que digitalize os serviços de saúde, ou até mesmo, que permitam formas de exame menos invasivos.

Carla Belitardo, vice-presidente de Estratégia da Ericsson, alerta que não basta ter o domínio de uma tecnologia, é preciso permitir o seu ganho em escala para que ela possa ser assimilada e tenha o impacto desejado na sociedade. Isso é um ponto importante que deve ser levado em consideração ao estruturar seu projeto.

Ficou animado? Então, veja os detalhes do Edital e inscreva-se na Plataforma do Programa. O prazo é até o dia 24 de abril.

 

Inatel

Instituto Nacional de Telecomunicações – Inatel

Campus em Santa Rita do Sapucaí - MG - Brasil

Av. João de Camargo, 510 - Centro - 37540-000

+55 (35) 3471 9200