Você está acessando nosso website pela primeira vez. Nosso site, objetivando permitir, particularmente, uma melhor interação com você, bem como para permitir funcionalidades para melhorar o funcionamento técnico das páginas, mensurar a audiência do website e oferecer produtos e serviços relevantes por meio de anúncios personalizados, coleta informações do seu dispositivo e da sua navegação por meio de cookies. Para saber mais sobre a coleta de dados/informações e cookies que coletamos, acesse a nossa Política de Privacidade.

Aceitar Não aceitar

Para ver o formulário de contatos você aceita nossa Política de Privacidade.

Aceitar Não aceitar

Cresce faturamento das empresas participantes do PRIME-Inatel

As empresas que participaram do Programa Primeira Empresa Inovadora (PRIME) do governo federal, sob a administração da Incubadora de Empresas e Projetos do Inatel, encerram o ano de 2010 com um faturamento somado de mais de R$ 6,5 milhões, um crescimento de 140% em relação ao total arrecadado por elas em 2009.

prime_450Durante um ano, o PRIME liberou cerca de R$230 milhões de reais para investimentos em empresas selecionadas em todo o Brasil. O programa foi administrado por 17 incubadoras-âncoras, entre elas a Incubadora do Inatel, que ficaram responsáveis pela seleção e acompanhamento dessas empresas e pela gestão dos recursos liberados pela Financiadora de Estudos e Projetos (FINEP), órgão vinculado ao Ministério da Ciência e Tecnologia (MCT).

Cerimônia de assinatura dos contratos do PRIME com as empresas em dezembro de 2009

Apenas no Programa PRIME-Inatel, 135 empresas se inscreveram para participar e, após três etapas de seleção, 66 empresas foram selecionadas e contratadas, sendo 64 de Minas Gerais, uma de Campinas- SP, e outra de Goiânia-GO. Cada uma recebeu R$ 120 mil de investimento. Santa Rita do Sapucaí teve uma grande participação, com 35 empresas, a maioria do setor tecnológico.

O consultor do PRIME pelo Inatel que atua junto à coordenação geral do Programa, Ivan Edson Gomes, explicou que para ser selecionada a empresa deveria ter no máximo dois anos, ter um projeto realmente inovador e com consistência técnica. "Percebemos que muitos empreendedores apostaram neste investimento para abrir sua primeira empresa, tanto que 43 empresas pré-selecionadas na primeira fase do projeto tinham, no máximo, seis meses de existência. Mas para receber o aporte financeiro também era essencial um projeto com aplicabilidade no mercado", explicou o consultor.

Ao longo do período de vigência do PRIME, as empresas participantes geraram quase 400 postos de trabalho, entre os profissionais estão gestores e especialistas técnicos, que por obrigatoriedade do programa foram contratados pelas empresas no início do projeto e permaneceram após o término do PRIME. "Este foi o primeiro programa de fomento a empresa do governo que pagou também o salário do próprio empreendedor, para que os mesmos se dedicassem ao empreendimento, disse Gomes.

No Programa Prime-Inatel, 27 empresas conseguiram captar investimentos de fomento de outros programas no valor total de R$ 3,6 milhões, e três empresas também receberam aporte de capital de risco de R$ 740 mil. Os resultados tecnológicos também são vários, como o registro de três patentes e o requerimento de outras 17, todas elas de produtos desenvolvidos pelas empresas.

Das 66 empresas que participaram do PRIME, oito foram graduadas ou são residentes da Incubadora do Inatel. A InteractiveWorld Soluções Tecnológicas atua no ramo de automação residencial e tinha seis meses de criação quando entrou no programa. De acordo com o empreendedor Fernando Xavier, o investimento recebido foi utilizado na estruturação da empresa. "Contratamos o gestor de negócios que foi responsável em aplicar aquilo que era desenvolvido junto à consultoria de gestão para a estruturação do departamento financeiro. Também foi realizada uma consultoria na área de mercado com o qual obtivemos um resultado do macro ambiente da automação residencial no Brasil, assim como o desenvolvimento de um dos produtos oferecidos pela empresa que está em fase de produção".

Fernando Xavier afirmou que durante a fase de seleção os empreendedores tiveram dificuldade para levantar toda a documentação exigida, mas que o esforço valeu a pena. "O PRIME ajuda a estruturar setores que nenhum outro fomento atinge. Com certeza participaríamos de uma nova edição, mas sugerimos que os recursos investidos abrangessem também a compra de equipamentos estratégicos para a empresa, além da contratação de consultorias".

Para o coordenador geral do programa, Rogério Abranches da Silva, o Inatel dá mais uma contribuição relevante para o desenvolvimento sócio-econômico e tecnológico do Vale da Eletrônica e região. "Com certeza, nos próximos anos, acompanharemos o grande sucesso de algumas destas empresas criadas a partir do PRIME e veremos claramente o retorno de um projeto como este para a comunidade local, assim como para todo o País"

 

 

Inatel

Instituto Nacional de Telecomunicações – Inatel

Campus em Santa Rita do Sapucaí - MG - Brasil

Av. João de Camargo, 510 - Centro - 37540-000

+55 (35) 3471 9200