Você está acessando nosso website pela primeira vez. Nosso site, objetivando permitir, particularmente, uma melhor interação com você, bem como para permitir funcionalidades para melhorar o funcionamento técnico das páginas, mensurar a audiência do website e oferecer produtos e serviços relevantes por meio de anúncios personalizados, coleta informações do seu dispositivo e da sua navegação por meio de cookies. Para saber mais sobre a coleta de dados/informações e cookies que coletamos, acesse a nossa Política de Privacidade.

Aceitar Não aceitar

Para ver o formulário de contatos você aceita nossa Política de Privacidade.

Aceitar Não aceitar

Inatel desenvolve projetos para atender pessoas com deficiência


"Uma instituição de ensino deve servir à comunidade e é isto que o Inatel faz, aplica o conhecimento de engenharia a serviço da sociedade e da saúde". Este depoimento do professor José Maria de Souza, integrante do Grupo de Estudos de Engenharia Biomédica do Inatel, resume a importância do trabalho dos colaboradores e alunos do Instituto, com destaque para os projetos voltados para as pessoas com deficiência. Este ano, as pesquisas desenvolvidas pelo Inatel nessa área ganharam destaque em conceituadas feiras de inovações, como a II Mostra Internacional da Pessoa com Deficiência, realizada em Belo Horizonte em setembro, e a II Mostra Internacional de Inovações para Pessoas com Deficiência, promovida em São Paulo, entre os dias 21 a 24 de outubro. Para participar do evento na capital paulista, o Inatel passou por uma seleção que avaliou as propostas mais inovadoras e, entre as 30 instituições selecionadas, foi a única a apresentar três projetos: o andador microcontrolado, a cadeira microcontrolada com comando de joystick e o elevador ortostático.

imagem-elevador-quadrado-450Instalado no asilo de Santa Rita do Sapucaí, o elevador ortostático foi desenvolvido em uma parceria envolvendo o Inatel, a empresa Usivale, e a fisioterapeuta Claudia Garcez, que propõe um novo tratamento através da reeducação da marcha para pessoas com lesão de medula. Nas pesquisas desenvolvidas pela fisioterapeuta através do curso de Engenharia Biomédica, o paciente fica em pé, com o auxílio do elevador, e realiza o treinamento do andar. De acordo com Claudia Garcez, que já utilizou o equipamento em duas pesquisas, os resultados são motivadores, "o sistema nervoso central do paciente é estimulado de uma forma que ele dê um passo por si próprio. Este tratamento é diferente de terapias já utilizadas, onde a marcha é estimulada de forma artificial e passiva".

Paciente no Elevador Ortostático

Atualmente o elevador é utilizado em mais um estudo com a participação de sete pessoas com lesão medular de várias regiões do país. A pesquisa traz como inovação a prática de musculação para as pernas com o objetivo de estimular a musculatura e auxiliar no andar, explica o educador físico Arthur Gruitter, profissional integrante da pesquisa.

imagem-cadeira-zemaria-450O projeto da cadeira de rodas microcontrolada foi idealizado pelo professor José Maria da Silva Souza, e formalizado através de uma parceria entre o Inatel, a Escola Técnica de Eletrônica (ETE), a Faculdade de Administração e Informática (FAI), o SENAI, o Sindvel, e a prefeitura de Santa Rita do Sapucaí. A proposta prevê que a cadeira sirva aos cidadãos com problemas de mobilidade (paraplégicos, tetraplégicos), com controle por joystick e por comando de voz, estrutura robusta e confortável, durabilidade compatível, com peças acessíveis no mercado e custo reduzido em relação às existentes. "Essa foi uma iniciativa de transformar os conhecimentos abrigados nas instituições de ensino em soluções dos problemas de qualificação de vida da sociedade. Neste momento podemos assegurar que estamos bem próximo do que desejamos, considerando a reformulação que está sendo empreendida para dar continuidade aos primeiros resultados já alcançados", disse o professor José Maria.

Aluno do Mestrado Fábio Silva e prof. José Maria Souza na feira em Belo Horizonte

O andador microcontrolado foi desenvolvido pelos alunos Marcel da Silva e Danilo Pereira, da Engenharia Elétrica, e Diego Marcel, da Engenharia da Computação, e apresentado pela primeira vez na Feira Tecnológica do Inatel. O equipamento tem motor e rodas com giro de 360°, facilitando o andar de pacientes com dificuldades de locomoção, que não precisam fazer força para levantar o andador na hora de mudar o passo. Por esta criação, os alunos participaram do Prêmio da Sociedade Mineira de Engenheiros (SME), na categoria Ciência e Tecnologia.

imagem-andador-alunos-450

De acordo com fisioterapeuta Claudia Garcez a participação nas feiras foi importante pelo retorno dado pelos profissionais da área da saúde. "O feedback foi positivo. Muitos ficaram surpresos com o que vem sendo feita em Santa Rita do Sapucaí. Recebemos questionamentos e sugestões importantes para a continuidade das nossas pesquisas".

Atualmente o Inatel é uma das seis instituições de ensino do Brasil a oferecer o curso de graduação em Engenharia Biomédica e também tem a pós-graduação em Engenharia Biomédica e Engenharia Clínica, com turmas em Santa Rita do Sapucaí e Belo Horizonte. Outras informações sobre esta área da engenharia estão disponíveis no site http://www.inatel.br.

 

Alunos que desenvolveram o andador microcontrolado

imagem-musculacao-450

Prof. Arthur C. Gruitter (Academia Life), Vinícius Tonnete

 

 

 

 

 

 

 

Inatel

Instituto Nacional de Telecomunicações – Inatel

Campus em Santa Rita do Sapucaí - MG - Brasil

Av. João de Camargo, 510 - Centro - 37540-000

+55 (35) 3471 9200