Você está acessando nosso website pela primeira vez. Nosso site, objetivando permitir, particularmente, uma melhor interação com você, bem como para permitir funcionalidades para melhorar o funcionamento técnico das páginas, mensurar a audiência do website e oferecer produtos e serviços relevantes por meio de anúncios personalizados, coleta informações do seu dispositivo e da sua navegação por meio de cookies. Para saber mais sobre a coleta de dados/informações e cookies que coletamos, acesse a nossa Política de Privacidade.

Aceitar Não aceitar

Para ver o formulário de contatos você aceita nossa Política de Privacidade.

Aceitar Não aceitar

Alunos projetam máquina para atender mercado têxtil

Empreendedores visitaram feira do setor em Blumenau, Santa Catarina

Os alunos do projeto Autosystem, da Pré-incubadora do Inatel, estão de olho no mercado têxtil brasileiro. Willian Varella Ribeiro Maia, do 4º período de Engenharia Elétrica, e Túlio Gustavo Rodrigues, do 4º período de Engenharia da Computação, desenvolvem uma máquina infestadeira, usada para desenrolar tecido. Para conhecer as necessidades do setor, os dois empreendedores estiveram na Feira Brasileira da Indústria Têxtil, a Febratex 2010, realizada em Blumenau, em Santa Catarina.

imagem-autosystem2_450Na feira eles conheceram os produtos para o setor já existentes no mercado e viram quais as principais necessidades dos empresários do ramo. "São poucas as opções de máquinas nacionais e o grande problema das importadas é a falta de assistência técnica. Máquina parada é sinônimo de menor produção e isso os empresários não querem", disse Túlio.

 

 

Túlio Gustavo Rodrigues e Willian Farella Maia em Blumenau

Os alunos tiveram a ajuda do Inatel, que custeou parte da viagem à Santa Catarina, onde aproveitaram também para conhecer uma fábrica de máquinas têxteis e uma confecção. A ideia do projeto Autosystem surgiu da necessidade da empresa do pai de Willian Maia, que tem uma confecção de calças e ternos em Paraguaçu. "Um equipamento como a infestadeira economiza tempo e aumenta a produtividade da confecção, mas a maioria das máquinas tem desempenho melhor com tecidos grossos e vamos desenvolver uma para tecidos mais finos", explica Willian.

Os empreendedores estão na Pré-Incubadora desde junho e durante o ano que podem ficar no espaço cedido pelo Inatel pretendem desenvolver todo o projeto da máquina. "Estamos aprendendo muito sobre o que é preciso para ter uma empresa. Por enquanto, estamos orçando o projeto e também desenvolvendo toda a programação da máquina. E ter o nome do Inatel nos ajuda na hora de buscar parceiros e fornecedores. Exemplo disso é a parceria com a empresa Sense, que vai doar os sensores que serão utilizados na nossa infestadeira", completou Túlio.

Inatel

Instituto Nacional de Telecomunicações – Inatel

Campus em Santa Rita do Sapucaí - MG - Brasil

Av. João de Camargo, 510 - Centro - 37540-000

+55 (35) 3471 9200