Pautas do Inatel

Precisa de pauta na área de tecnologia, educação e inovação?

O Inatel reúne pesquisas e projetos que podem render excelentes reportagens. Confira nossas principais áreas de atuação e sugestões:

  • 5G e radiocomunicações

    5G e radiocomunicações

    O padrão da nova geração da comunicação móvel vai ser definido em 2020, mas instituições de pesquisa e empresas já apontam os caminhos das tecnologias que serão empregadas no desenvolvimento e aplicações do 5G. O Inatel é um Centro de Referência em Radiocomunicações. O CRR, como é chamado, foi criado por meio de um projeto envolvendo o Ministério de Ciência, Tecnologia, Inovação e Comunicação (MCTIC), Finep e Inatel, com recursos do Fundo para o Desenvolvimento Tecnológico das Telecomunicações - Funttel, e conta com mais de 30 profissionais voltados para o trabalho de PD&I.

    Os pesquisadores do CRR estudam os cenários da comunicação no Brasil, as necessidades específicas para a implementação do 5G e propõe um novo modelo de rede que permita o acesso à Internet em áreas remotas com qualidade e custo acessível. Em dois anos e meio de pesquisas, os pesquisadores do Inatel desenvolveram um transceptor MIMO-GFDM, que venceu uma competição na Europa como a tecnologia mais flexível para a futura rede de comunicação móvel. A solução nacional teve a primeira transmissão no Brasil em agosto de 2017, na Esplanada dos Ministérios, em Brasília.

    O Inatel integra também o projeto 5G-RANGE, que reúne instituições de pesquisa e empresas do Brasil, Alemanha, Espanha e Finlândia com o objetivo de propor e soluções práticas para o acesso à internet em áreas remotas e rurais.

  •  

  • Internet of Things – IoT

    Automação e Robótica

    Estamos entrando em uma nova era tecnológica, em que a conexão e a troca de dados entre as maquinas vão culminar em sistemas inteligentes que tomam decisões de forma autônoma: a era da Internet das Coisas.

    O Inatel desenvolve um ecossistema para pesquisa, desenvolvimento, inovação em soluções de IoT. Há várias iniciativas e parcerias para inserir o tema no cotidiano do campus.

    O Inatel Smart Campus

    O Smart Campus nasceu da união de projetos desenvolvidos por alunos e ex-alunos, startups e do Inatel Competence Center e está aberto para parcerias com empresas dispostas a investir na pesquisa e também em testar produtos em desenvolvimento. É um ambiente para aplicar e mostrar toda a tecnologia desenvolvida na instituição, tanto no ambiente acadêmico quanto na área de P&D e no ecossistema de empreendedorismo direcionadas para IoT. A ideia é que as empresas possam desfrutar das ideias geradas por esse grupo e propor soluções que possam ser desenvolvidas para o mercado de IoT. A contrapartida é o custeio de bolsas para ampliar ainda mais o número de estudantes envolvidos nessas pesquisas.

    O IoT Research Group

    O Grupo de Pesquisa Internet of Things aborda a modelagem de soluções de IoT em verticais estratégicos para o Brasil, incluindo saúde, gestão de energia, indústria, residências, ambientes urbanos e rurais. Ele se concentra no desenvolvimento de novas tecnologias, soluções e abordagens que exploram dados de sua geração e coleta, incluindo armazenamento, tratamento e análise. Proposta de soluções com impacto para o avanço do conhecimento, tanto na indústria quanto na sociedade, visando a transferência de tecnologia e inovação.

    Parceria com a Coreia do Sul

    Desde 2017, o Inatel sedia o Centro de Cooperação em Tecnologia da Informação Brasil-Coreia (ITCC, em inglês), com o trabalho em conjunto entre os pesquisadores dos dois países com o foco nas pesquisas e aplicações de Internet das Coisas para casas e ambientes inteligentes. A parceria envolve o Inatel e a Agência Nacional da Sociedade de Informação da República da Coreia – NIA, a principal agência estatal sul-coreana em infraestrutura de TICs.

    Parceria Inatel, TIM e Ericsson

    O Inatel, a TIM e a Ericsson têm um acordo de intenção para colaboração tecnológica, científica, de inovação e empreendedorismo com objetivo de prover soluções para o desenvolvimento de Cidades Inteligentes e Internet das Coisas (IoT, na sigla em inglês), com base em soluções móveis. A parceria vai permitir que a operadora forneça aos alunos de graduação e mestrado do Inatel tópicos de pesquisa e investigação para que estes possam sugerir soluções à serem aplicadas no campo acadêmico e, futuramente, replicadas fora da universidade.

  •  

  • Automação, Robótica e Industria 4.0

    Automação e Robótica

    Os alunos do Inatel vivenciam a prática da robótica e inteligência artificial em pesquisa e desenvolvimento realizados em laboratórios temáticos. Desde 2013, o Inatel conta com uma equipe de robótica, a Robotbulls, que participa de importantes competições. Os alunos/pesquisadores atuam em cinco categorias: Futebol Virtual 2D, FollowLine (seguidor de linha), Futebol Real VSS, Sumô Lego e Mini Sumô, trabalhando desde o desenvolvimento (programação), simulação do jogo e construção física dos robôs. A equipe é a atual campeã latino-americana de Futebol VSS.

    No campus em Santa Rita do Sapucaí, há o Laboratório de Controle de Processos Industriais e Indústria 4.0, que simula as práticas em um ambiente fabril, com padrões e equipamentos de ponta e controle de acesso remoto aos testes.

  •  

  • Comunicações Ópticas e Sem Fio

    Comunicações Ópticas e Sem Fio

    O Laboratório WOCA (Wireless and Optical Convergent Access) desenvolve pesquisas na área de Comunicações Ópticas e Sem Fio no Inatel. A equipe, sob coordenação do professor Arismar Cerqueira, tem sua atuação voltada para a transferência de tecnologia para o mercado por meio de projetos realizados em parceria com grandes empresas. O laboratório conta com uma rede óptica real integralmente dedicada às pesquisas, formada por cabos ópticos terrestres e redes sem fio operando em frequências de até 60 GHz.

    Dentre os projetos, destacam-se os radares para aplicações militares desenvolvidos para o exército brasileiro e equipamentos inovadores para atender às tecnologias móveis de 5ª geração. As pesquisas do laboratório deram origem a pelo menos duas patentes: uma Estação Radio Base (ERB) que atende às tecnologias móveis do 2G ao 5G e um radar fotônico inovador, que será capaz de aumentar a segurança do controle de tráfego aéreo e marítimo, desenvolvido em parceria com uma instituição italiana.

  •  

  • Empreendedorismo e Startups

    Empreendedorismo e Startups

    O Inatel tem um Núcleo de Empreendedorismo, com uma Incubadora de Empresas e uma Pré-Incubadora de Empresas e Projetos, destinada a alunos e ex-alunos que têm interesse em transformar uma ideia em um negócio. Segundo pesquisa do Núcleo de Tecnologias de Gestão - NTG da Universidade Federal de Viçosa – UFV, em parceria com a Rede Mineira de Inovação – RMI, a Incubadora do Inatel é a que mais graduou empresas no estado de Minas Gerais, com mais de 60 empresas graduadas.

    Crowd Vale da Eletrônica

    Por meio de uma parceria com a Telefónica e a Ericsson, o Crowd Vale da Eletrônica é o primeiro espaço de inovação do país a integrar o Programa Telefónica Open Future, que engloba as iniciativas de incentivo à inovação. O projeto está no terceiro ano de atuação.

    FAB LAB

    Nesse espaço, os usuários podem criar conceitos e testar a viabilidade para estruturar o melhor modelo de negócio. O local comporta impressoras 3D de última geração, máquina de usinagem para placas de circuito impresso, além de modernos equipamentos para reuniões e apresentações. O local é aberto aos alunos que participam de atividades de empreendedorismo da instituição, empresários residentes na Incubadora do Inatel e empreendedores da comunidade externa, que sejam parceiros do Instituto.

  •  

  • PD&I com empresas

    PD&I com empresas

    A área de serviços do Inatel, o Inatel Competence Center, conta com mais de 350 especialistas dedicados ao desenvolvimento de soluções inovadoras em diversas áreas da tecnologia. Há projetos financiados pela Lei da informática, utilizando recursos próprios das empresas e alguns que recebem recursos da FINEP. Há laboratórios de PD&I das empresas parcerias funcionando dentro do prédio do Inatel, como é o caso da Ericsson, Qualcomm, Datacom, Comarch, Giga, Sense, Huawei, entre outras.

    O ICC realiza pesquisa e desenvolvimento de software, hardware, sistemas embarcados, com atuação em App Móveis; Banco de Dados; Cloud; Comunicação Digital; Controle de Acesso; Fábrica de Software; Gerenciamento de Dispositivos; Integração de Sistemas; IPTV; M2M; Microeletrônica; OTT; Radiofrequência; Sistemas Gerais; Sistemas Web; Smart Grid; Soluções para IoE e IoT; Stand Alone; Tarifação; Testes; TV Digital entre outras tecnologias.

    Desde 2016, o Inatel é Unidade EMBRAPII, que disponibiliza financiamento para projetos de inovação com empresas.

  •  

  • Tecnologia da Informação e Comunicação

    Tecnologia da Informação e Comunicação

    O ICT Lab (Informationand Communication Technology Laboratory) é um ambiente do Inatel voltado para o desenvolvimento de pesquisas na área de TIC, onde atuam alunos de graduação e mestrado, sob orientação do professor Antônio Marcos Alberti. Um dos principais projetos do ICT Lab é o NovaGenesis, que originou a criação de uma arquitetura convergente de informação, preparada para atender às necessidades de tecnologias emergentes de comunicação como Internet das Coisas, 5G, Inteligência Artificial e de tecnologias de registro de transações de informação.

    O trabalho do grupo é focado na criação de um ambiente computacional melhor preparado para o crescimento da infraestrutura de informação e comunicações previstas para as próximas décadas, tanto com relação ao número de dispositivos conectados e à quantidade de redes disponíveis, quanto à demanda por tráfego e mobilidade.

    No laboratório há especialistas em IoT, IoE, Inteligência Artificial, Virtualização, smart places, arquiteturas emergentes, SDN, smart grid, rádios cognitivos.

  •  

  • Tecnologia para a saúde

    Tecnologia para a saúde

    A utilização da tecnologia associada à medicina vem ganhando cada vez mais espaço no mercado e atendendo diferentes áreas no que diz respeito aos benefícios à saúde humana. Alguns desses avanços estão sendo desenvolvidos no Inatel, por alunos dos diversos cursos de Engenharia e Tecnologia do Instituto. O Inatel foi uma das primeiras faculdades brasileiras a oferecer a graduação em Engenharia Biomédica. Também possui curso de pós na área em Santa Rita do Sapucaí e Belo Horizonte.

    A tecnologia para a saúde é explorada pelos alunos em vários laboratórios temáticos, com equipamentos modernos, incluindo um de Ressonância Magnética utilizado exclusivamente para ensino e pesquisa. Desde 2012, o Inatel tem um Centro de Desenvolvimento e Transferência de Tecnologia Assistiva – CDTTA, com o foco em inovações tecnológicas a um preço acessível para pessoas com deficiência. Algumas soluções desenvolvidas com o apoio do CDTTA já ganharam o mercado. Além disso, há pesquisas utilizando a Internet das Coisas no desenvolvimento de soluções para a saúde.

  •  

  • TV Digital

    TV Digital

    O Inatel participou ativamente das pesquisas e desenvolvimento do padrão brasileiro de TV Digital, inspirado no modelo japonês, no início dos anos 2000. Em parceria com a então Linear Equipamentos Eletrônicos, hoje Hitachi Konkusai Linear, o Instituto desenvolveu moduladores para todos os padrões de TV Digital existentes, que foram comercializados mundialmente, erealizou a primeira transmissão digital empregando tecnologia 100% nacional.

    O Inatel também contribuiu com o desenvolvimento de receptores de TV Digitale participou da preparação do software para execução do GINGA em receptores nacionais, alémdo desenvolvimento de aplicativos para grandes empresas do setor de radiodifusão, financeiro e de educação. Foi a pioneira em oferecer um curso de pós-graduação em sistemas de TV Digital e treinou diversos profissionais que atuam em emissoras de televisão no Brasil e de países que adotaram o padrão ISDB-Tb.

  •  

  • Educação

    TV Digital

    Nos últimos anos estamos convivendo com um avanço muito rápido do uso de ferramentas tecnológicas nos mais variados mercados e nas mais diferentes atividades da sociedade. Como consequência, temos a necessidade de repensar a forma como os profissionais de TIC (Tecnologia da Informação e Comunicação) devem ser formados para atender às necessidades constantes dessa evolução. Além de ensinar com tecnologia, devemos ensinar para a tecnologia. Hardware, software e redes de telecomunicações podem ser desenvolvidos ou integrados para atenderem às necessidades da indústria, da saúde, da educação e de várias necessidades socioeconômicas. Os profissionais devem ser competentes em uma especialidade tecnológica mas, ao mesmo tempo, terem uma formação sólida para dialogarem e interagirem com profissionais de outras áreas do conhecimento no contexto do trabalho em equipe.

    O Inatel trabalha para oferecer em seus programas educacionais atividades curriculares e extracurriculares que contemplem essa nova realidade. Com cases praticados em salas de aulas, laboratórios e por meio de parcerias com empresas, o Inatel é exemplo de uma formação conectada com o mercado e com a nova geração, sem deixar de lado a essência do ensino de base quando se fala em engenharia e tecnologia. O currículo das graduações está atualizado para atender às demandas de mercado de um profissional completo, com o uso mais constante de ferramentas computacionais desde o início dos cursos. Além disso, a pós-graduação em Internet of Things (IoT) atende a capacitação de profissionais já em atuação, trabalhando a convergência digital e tecnologias desruptivas.

  •  

Pautas do Inatel

Entre em contato conosco!
Jornalistas:
Ana Gabriela Abreu – (35) 3471-9318
Claudia Porto – (35) 3471-9231
E-mail: ascom@inatel.br

@ Entre em contato

Inatel - Instituto Nacional de Telecomunicações

Av. João de Camargo, 510, Santa Rita do Sapucaí - MG - Brasil

+55 (35) 3471.9200 | inatel@inatel.br

Escritório Inatel SP

WTC Tower, 18º Andar - Conjunto 1811/1812

Av. das Nações Unidas, 12551 - Brooklin Novo - São Paulo - SP

+55 (11) 3043.6015 | inatel.sp@inatel.br